Termoacumulação Estratificada


O princípio básico de operação é disponibilizar uma capacidade nos compressores menor do que a demanda térmica máxima simultânea da planta, o que representa uma grande economia de energia. A diferença entre essa oferta e demanda está, justamente, no tanque de termoacumulação, que absorvendo a potência frigorífica instalada compensa a carga térmica exigida pela planta quando não há simultaneidade de processos, devolvendo-a no momento necessário, ou seja, de carga máxima.

O controle desse sistema é determinado através do efeito de estratificação do fluido no tanque, isto é, pela diferença de densidade causada pela diferença de temperatura no fuido, observada entre alimentação e retorno.

Temos, então, vários seguimentos do tanque em diferentes temperaturas, obviamente bem próximas, as quais são medidas por elementos transmissores estrategicamente instalados ao longo do costado do tanque, que indicam o momento exato de desligar ou religar os compressores, assim como as bombas centrífugas do sistema primário (resfriamento do fluido) devidamente intertravados.

A utilização de inversores de frequência para controle da vazão no circuito secundário (alimentação ao processo), em função de maior ou menor demanda térmica, complementa o processo de economia de energia.